Exposição de Fotografia “Arquitecturas” de Mafalda Pires da Silva e António Marrachinho

  • 201506111528x77DC.png
  • Será inaugurada no próximo dia 13 de Junho, às 15h, a exposição “Arquitecturas”, da autoria de Mafalda Pires da Silva e António Marrachinho.

    A exposição tem como temas “Regresso ao Paraíso”, de Mafalda Pires da Silva, e “orbis tertium”, de António Marrachinho, e estará patente na Sala Pequena do Palácio dos Aciprestes entre os dias 13 e 25 de Junho.

    Mafalda Pires da Silva, há muitos anos interessada na arte fotográfica e com recentes incursões no domínio do vídeo, encontra na fotografia uma forma de expressão e procura da luz, bem como a possibilidade de outra dimensão, entre as infinitas realidades e o seu próprio olhar. A Autora foi nomeada em 2011 para o Prémio Autor, da Sociedade Portuguesa de Autores, foi também premiada em diversos trabalhos e exposições individuais e coletivas, e foi selecionada para as Bienais de Sintra, Montijo e Vila Franca de Xira, bem como para a Sociedade Nacional de Belas Artes.

    António Marrachinho, Advogado, formador e dinamizador associativo nas áreas social, desportiva e cultural, é membro fundador do Synapsis, contribuindo na animação em torno da literatura e da poesia, encara-se como aprendiz da arte fotográfica no tempo livre e participa ou apresenta fotografias em trabalhos inseridos noutras manifestações culturais, ilustrando escritas, homenagens ou efemérides no círculo próximo dos amigos ou nas redes sociais.

    “Arquitecturas” resulta de um desafio coletivo no âmbito do Synapsis, grupo e tertúlia cultural de Setúbal com intervenção em diversos domínios das artes, da cultura e da cidadania. Os trabalhos apresentados podem compreender-se a partir de uma diversidade complementar: “Regresso ao Paraíso” procura, ilustra e ilumina Jardins Românticos e Filosofais; “orbis tertium” move-se entre afinidades da História, dos Símbolos e de uma outra Luz sobre monumentos também significativos do magistério Pombalino.

    Este evento conta com a colaboração da Fundação Marquês de Pombal, do Palácio dos Aciprestes e do Artista Plástico e Curador de Artes Kim Molinero.