Sustos às Sextas 17 Mar | 21h00

  • 201702281229x2A99.png
  • Na terceira edição dos Sustos às Sextas, onde se consolida a relevância deste evento no panorama nacional do terror sobrenatural, através da originalidade e valor cultural apresentado aos visitantes, as surpresas sucedem-se.

    Após um arranque com fado, interpretado por Jorge Mendes, acompanhado à viola por José Braga e à guitarra por José Augusto Coelho, falou-se de Folk Horror e apresentou-se a dramatização do conto de terror “Harry”, da escritora Rosemary Timperley. A nova rúbrica de sugestões de literatura e filmes, tem tido igualmente bastante sucesso e tem feito as delícias dos presentes que assim anotam ideias sobre o que ler ou ver na televisão e no cinema.

    A terceira sessão, decorrerá já no próximo dia 17 de março e terá início com uma atuação a cargo do Centro Cultural de Algés e da União de Freguesias de Algés, Linda-a-Velha e Cruz-Quebrada/Dafundo. Seguir-se-á a apresentação do filme “A Dança dos Paroxismos” (1929), de Jorge Brum do Canto, apresentado em colaboração com a Cinemateca Portuguesa-Museu do Cinema.

    A abrir a segunda parte, depois de um intervalo para café, onde é igualmente inaugurada uma exposição de fotografia ligada aos filmes a apresentar nesta sessão, o realizador Ricardo Machado será entrevistado por João Antunes, seguindo-se a projeção da curta metragem “Bad Girl” (2015), da sua autoria.

    A encerrar a terceira sessão, a rúbrica “Sustos às Sextas e Pedro Nunes recomendam...”, teremos as habituais dicas, desta vez orientadas ao cinema, selecionadas pelo convidado do mês.

    A edição de 2017, conta com o apoio da Fundação Marquês de Pombal, da União de Freguesias de Algés, Linda-a-Velha e Cruz-Quebrada/Dafundo, da Cinemateca Portuguesa – Museu do Cinema, do Museu da Marioneta, do Agrupamento de Escolas de Miraflores, da publicação online Oeiras Digital, da editora Saída de Emergência e da produtora Xperience Corporate Media.