Mensagem do Presidente

Isaltino Morais - Presidente da Fundação Marquês de Pombal
O ano de 2020 ficará para sempre marcado pela pandemia gerada com a COVID-19, impondo vicissitudes das quais quase ninguém conseguiu escapar.

Também a Fundação Marquês de Pombal não escapou a essas vicissitudes, por força da imprevisibilidade a que todos passámos a estar sujeitos, impedindo que se concretizassem muitos dos objetivos programados. Ainda assim, não se deixaram de registar aspetos merecedores de destaque, como seja a conclusão das obras na Casa-Museu Igrejas Caeiro, cuja inauguração é projetada para o ano que agora começa e que regista o 9.º aniversário do falecimento do saudoso testador, Francisco Igrejas Caeiro.

Não obstante a imprevisibilidade que a pandemia acarretou e ainda acarreta, e como tem sido apanágio em anos anteriores, procurámos elaborar um Plano de Atividades pautado por rigorosos critérios de gestão, do qual resulta um importante conjunto de ações a promover e cuja divulgação, com vista a reforçar a imagem institucional da Fundação e captação de novos públicos, torna-se fundamental.

O Palácio dos Aciprestes contará, por um lado, com ações dinamizadoras de âmbito cultural, social, educativo e, por outro, com a realização de eventos particulares, mediante a cedência de espaços para o efeito e do qual poderão resultar contrapartidas financeiras com vista à criação de receita, tal como tem sido almejado. Deverão concluir-se as intervenções a ter lugar na Galeria já no decorrer deste ano, uma vez que se trata, igualmente, de um espaço importante para a prossecução dos objetivos traçados pela Fundação.

Assinala-se, também, o 25.º aniversário da Ludoteca e cuja celebração pretendemos que seja marcada por diversas atividades, em especial, com a comunidade da Outurela – para além das atividades permanentes a serem realizadas, as quais assumem um papel crucial para o desenvolvimento das crianças e equilíbrio das suas famílias (recolha nas escolas, serviço de lanche e complemento alimentar, festas e dias/semanas temáticos e o programa “Férias a Brincar”).

Por outro lado, e em comparação com o ano transato, prevemos um aumento de receita com os ateliers do Parque de Ateliers Quinta do Salles. No entanto, assinalam-se ainda obras de conservação que carecem de ser levadas a cabo – está previsto que o Município de Oeiras as concretize durante o ano de 2021. Mostra-se também necessário concluir a adequação das instalações às exigências impostas em matéria de segurança.

Quanto ao pessoal afeto à Fundação, e ainda que tenhamos procurado ajustar o quadro atual, este é ainda insuficiente, circunstância agravada com o atual contexto. Pretendemos, por isso, investir no contínuo desenvolvimento de competências e qualificações dos trabalhadores, nomeadamente, através de ações de formação que os permita dar uma resposta mais eficaz e eficiente.

Embora atravessemos um período de incerteza, e sem que possamos recorrer à futurologia para apurar o regresso à plena normalidade, é agora altura, mais do que nunca, de confiarmos num ano de 2021 verdadeiramente próspero e auspicioso, na certeza de que a Fundação, com o empenho de todos e participação ativa de todos, continuará a desempenhar um papel determinante junto da nossa comunidade.

Isaltino Morais
Presidente